Número total de visualizações de página

domingo, agosto 12, 2007

Centenário do nascimento do Adolfo

Este senhor é o Adolfo Correia Rocha, ou Miguel Torga como ficou célebre.
Se estivesse vivo fazia hoje 100 anos.
E se a minha escola não fosse encerrada por causa das falcatruas, hoje já tinha feito uma página sobre a vida e obra do senhor.
Como a cambada de aldrabões da escola fugiu com o nosso dinheiro (dos formandos) posso dizer que..

Cambada de palhaços não me deixaram concluir o curso,
cambade de palhaços, nós os formandos que não fazemos nada,
desgraçado do Miguel Torga que assim se vê envolvido nesta trama porque seria o meu trabalho que nunca farei...

Ou então até farei.
Aproveitar que agora é o centenário do nascimento do senhor e fazer-lhe uma página, nem que seja simbólica, mas alguma coisa que prove que eu sei, aprendi alguma coisa no curso, não com este último formador mas com o primeiro formador.
Para quando será isso?
Não sei..
Estou demasiado inquieta e pensar formas de ter o meu dinheiro de volta, ou pelo menos algo que me confira a minha presença e aprovação no curso..

Ninguém foi avisado.
Chegamos lá para ter uma aula como outro dia qualquer e demos com a porta fechada e uma fotocópia do Diário da República a dizer:
- Insolvência de Pessoa Colectiva

E nós?
Ninguém nos disse nada.
Nem avisaram sequer.
Fiquem lá com este aviso e temos pena...

É nestas alturas que dava jeito ter dinheiro:
Dinheiro pra pagar a um advogado, dinheiro pra não me sentir muito mal sem o dinheiro do curso, dinheiro para poder frequentar outro curso porque este já foi para o diabo :(

Tá na hora da minha vida dar uma volta para melhorar, não?

1 comentário:

Rodas disse...

Inteiramente de acordo, minha amiga. O problema do estado é que é um aparelho burocrático difícil de enfrentar. Não é uma pessoa ou uma empresa ou uma instituição. É uma coisa que põe e dispõe com a autoridade inerente.
E sim, o dinheiro é fundamental porque o capitalismo domina.
Não compra felicidade? não é verdade. Não só a compra como a multiplica. Mas também corrompe, pelo que o povo, tu e eu e muitos outros, somos os eternos lixados.
E sim, a sorte tem algo a ver com isto. Afinal o factor de fodimento estatal é bastante aleatório. Caem os que estiverem por cima do buraco.
(estou muito cáustico, hoje)
E tá, tá na hora da tua vida melhorar. Haja sorte então, que o suor já o largas.

beijokas animadoras(?!?!) bina