Número total de visualizações de página

terça-feira, dezembro 21, 2004

Procura-se!

Saudações natalícias amigos leitores e comentadores!

E quando eu pensava que o nosso governo demissionário ia encerrar para balanço, eles voltam a atacar.
Ás 13.00 o nosso ex-Primeiro e o amigo Feliz vieram falar novamente com "as portuguesas e portugueses".

Desta vez vieram anunciar que andam à procura de uma solução para controlar o défice.
O nosso amigo Bagão Feliz andava a esfregar as mãos de contente que conseguiria travar o fantasma do défice com as suas brilhantes, ao contrário da sua antecessora Ferrenha Leite.
Mas o tiro saiu pela culatra, o Eurosta ontem chumboa a medida da cedência temporária de imóveis do Estado a privados.
O Eurostat considera que a operação de "lease-back", em que os prédios seriam cedidos a privados durante alguns anos, não pode ser contabilizado no défice do Estado.
Muito resumidamente, não vai ser por esticar o tapete que não se vai ver o tamanho do buraco que os senhores não souberam tapar.

500 milhões de Euros é mesmo muito dinheiro.
Como é que o governo vai arranjar esta quantia em menos de 1 mês?
Agora é que o Bagão Feliz pode sacar da sua varinha mágica.
Mas como o senhor está demissionário não está a conseguir colabora muito em arranjar uma solução rápida eficaz para este problema.

Eu como cidadã pragmática tenho uma solução:
- Todos os senhores do governo PSD/PP podem apostar no Euro-milhões.
Pode ser que tenham mais sorte ao jogo do que no governo.
"- Não é assim que se diz! Não é no governo, é sorte ao Amor!"
(Pois, deve ser assim mas eu estava a tentar enquadrar o provérbio à situação, ó gente mais mesquinha....)

Mais um ano que o Pacto de Estabilidade e Crescimento não vai ser cumprido.
Desta vez vamos ter sanções mais graves, só ainda não sei quais.
O Bagão Feliz é que não se está pelos ajustes.
A solução do problema é difícil, mas identificar um possível causador è mais fácil.

"Na edição desta terça-feira do Diário Económico, o ministro das Finanças afirma que o Governo optou pela solução de aluguer de imóveis do Estado em contraponto à venda efectiva e posterior arrendamento, porque os dois bancos escolhidos para liderarem a operação, a Caixa Geral de Depósitos e o BPI, tentaram renegociar o contrato quando o Governo ficou na frágil situação de gestão. "

Está identificado o causador dos danos, e a solução para o problema?
Procura-se!

Já agora que enviem uma proposta a um sultão do petróleo, pode ser que dê dinheiro por alguma coisa nossa.
Será que as professoras não colocadas em Portugal não estariam interessadas em trabalhar um ano como Odaliscas para o sultão e respectivos amigos?
Acho que não.
Mas era para um bem maior.
Até eu ia para lá mas só eu não vou salvar o défice, também não sou assim tão.. competente!

Fora de brincadeiras de mau gosto, preparem-se que das duas, uma:

- Ou o governo estende a mão à caridade - pedir a todos os cidadãos portugueses para contribuírem com 1 Euro, mas só um Euro não dá tem de ser mais - somos só 10 milhões, mais coisa menos coisa.
- Ou o próximo governo tem já um novo argumento para não fazer nenhum - os senhores que foram embora, deixaram o nosso país nu, nem a tanga nos deixaram!

Não sei bem porquê mas inclino-me mais para a desculpa do novo governo.

Se não nos virmos antes,
Bom Natal

A terrorista de serviço
Bina Ladina

Sem comentários: