Número total de visualizações de página

quarta-feira, setembro 22, 2004

Dia Europeu sem Carros?

Desde 2000 que Portugal aderiu à iniciativa europeia do substituição do veículo particular pelos transportes públicos.

E desde então que esse dia é caracterizado por um caos porque a alternativa dos transportes públicos na cidade de Lisboa é um pouco deficiente, já para não falar na confusão das várias vias principais da cidade que ficam cortadas ao trânsito.
Qual não é o meu espanto quando reparei que Lisboa parece ter reduzido a iniciativa para... 0 (zero) !?!?!?!?!
Não quis acreditar!
Sei que, ao longo dos poucos anos de vida desta iniciativa europeia, Portugal reduz todos os anos o contingente de cidades aderentes mas a melhor ficou nesta notícia da TSF Online:

"As duas maiores cidades portuguesas, Lisboa e Porto, ficam fora da iniciativa. O primeiro-ministro, Santana Lopes, chegou a afirmar que o Dia Europeu Sem Carros, é «folclórico»."

Ainda mais folclórico que o governo, será ...?
Não me parece, porque depois noutro site vi a declaração magnífica do um dirigente da Liga para a Protecção da Natureza:

"Tem-se chegado à conclusão que o simbolismo do dia pode ser feito numa área mais pequena, evitando custos de logística"

Não. De facto o governo da coligação é capaz de financiar a área da Defesa porque devemos sempre aumentar a segurança nacional (estes espanhóis a mim nunca enganaram..! ou será que são os ingleses?! Não, são os marroquinos a reclamar ainda situações do tempo dos Descobrimentos!).

A área do Ambiente pode viver bem sem financiamentos e ao que consta a actual tutela do Ambiente levou muitas autarquias ao desinvestimento nesta iniciativa porque estamos em tempos de crise.
Então segundo essa teoria, parece que Amadora, Aveiro, Fafe, Évora, Ovar e Vila Franca de Xira, não estão em crise?
Isto é o chamado país a duas velocidades, dois pesos, duas medidas e um monte de coisas aos pares...

E vocês? Também consideram isto apenas um simbolismo de ambientalistas, uma tentativa de salvar uma situação num país em que pouco ou nada pode ser salvo??

Daqui a um ano, este dia “folclórico” vai desaparecer do calendário nacional!

A vossa comentadora sempre a pé,

Letra Negra

Sem comentários: