Número total de visualizações de página

sábado, junho 04, 2005

Mudam os governos, pagam sempre os mesmos...

Boas tardes caros amigos leitores e comentadores!

É verdade que deveria estar na praia a contribuir para o cancro de pele, ou qualquer coisa mais proveitosa que estar em casa mas nem toda a gente pode andar na boa vida e tinha que me calhar na rifa ficar cá por casa.
Menos mal, assim finalmente consigo rever o 'Citizen Kane' e organizo ali o monte de papelada de Finanças e Segurança Social e consigo ver os mails em atraso!
E por falar em mails em atraso, recebi esta pérola que hoje partilho convosco:

"A oposição criticou hoje o ministro das Finanças, Luís Campos e Cunha, por acumular o seu vencimento de ministro com uma reforma de Banco de Portugal, depois de «impor sacrifícios aos portugueses», noticiou a Lusa.

De acordo com uma notícia divulgada pela TVI e pelo semanário «O Independente», o ministro das Finanças acumula os 6.759 euros mensais de vencimento como governante a uma reforma superior a 114.000 euros anuais, que obteve depois de seis anos consecutivos como vice- governador do Banco de Portugal.

«Há um princípio ético que é incontornável: os exemplos têm de vir de cima. A confirmarem-se estas notícias, a minha opinião é que o caso fala por si próprio», afirmou o líder parlamentar do PSD, Luís Marques Guedes, numa curta declaração aos jornalistas no Parlamento, segundo a Lusa.

O PCP foi mais claro e manifestou a sua indignação sobre este caso citando um provérbio popular: «Bem prega Frei Tomás, faz o que ele diz, não faças o que ele faz».

«É inadmissível, sobretudo num momento em que aos portugueses são impostas limitações no seu direito à reforma», considerou o deputado do PCP António Filipe, sublinhando que este caso é uma prova de que «os sacrifícios pedidos pelo Governo não são para todos».

Jornal de Negócios Online

Isto é tudo muito lindo quando se é oposição. Mas depois quando se chega ao tão almejado governo é que se vê a miséria que estes senhores passam.
Provavelmente sou eu e o meu mau feitio mas, será que estes pobres senhores não se contentavam com apenas um dos seus míseros salários?
Porque é que tenho de ser sempre eu e os outros contribuintes, a apertar o cinto?

Começa a ser insustentável a situação neste nosso cantinho... E mesmo com todas as iniciativas de bandeiras negras, a tendência não é para melhorar.

Andei ontem à procura de uma lista dos medicamentos que vão ser agora afectados com o fim da isenção a 100%. Fraca busca a minha uma vez que não encontrei nada.
Concebendo que alguns desses medicamentos são para pessoas com doenças crónicas, que já por si têm de enfrentar uma sociedade que privilegia os bons, saudáveis e bonitos, vão ter de ser estas pessoas a curar o défice orçamental?
Essas pessoas que mal têm para comer, agora vão ter que pagar medicamentos que lhe garantem uma vida digna, essas pessoas é que vão ter que sustentar estes pobres senhores do nosso país?

Tou a ficar farta destas palhaçadas, tinha esperança neste novo governo mas...
Mudam os governos, pagam sempre os mesmos!

Sem comentários: