Número total de visualizações de página

sexta-feira, novembro 12, 2004

E agora Palestina?

Boas tardes amigos leitores e comentadores do blog da desgraça!
Não tenho tido muita disponibilidade para vos escrever com a periodicidade habitaula mas isso é um pequeno detalhe a corrigir brevemente.

Qual será o futuro da Palestina agora que Yasser Arafat foi definitivamente ‘afastado’?

Provavelmente será mais uma daquelas teorias de conspiração que eu tenho uma especial tendência para achar muito razoáveis mas, corre pelas ruas de Ramallah o boato que o líder palestiniano teria sido envenenado. Pessoalmente acho que a Mossad – Serviço secreto do estado israelita, não pode ficar isenta de suspeitas neste cenário.
Era conveniente afastar este empecilho do caminho do governo de Ariel Sharon e alguém resolveu esse problema.

Certo que a idade avançada do líder da Autoridade Palestiniana seria uma razão para o enfraquecimento das resistências e defesas naturais, mas como se explica uma súbita quebra na produção de plaquetas do sangue?
A hipótese de Arafat ter leucemia foi logo afastada pelos médicos do Hospital militar onde passou os últimos dias de vida. Mesmo o médico particular que o acompanhava referiu que não lhe havia detectado alguma doença crónica. Muito estranho, não acham?

Por exemplo, até o nosso terrível Bagão Feliz deu hoje entrada no Hospital de S. João no Porto com uma crise de Hipertensão. Mas o referido senhor já sofre há vários anos dessa maleita e, as acessas discussões de quinta-feira sobre o orçamento de Estado, ou quiçá, os fabulosos repastos ministeriais, levam qualquer hipertenso a interromper as actividades, e até a ser recomendado o seu internamento.
Eu ainda acho que o internamento de – apenas - 24 horas, é pouco, mas eu não sou cardiologista. É pena!

No entanto e, para evitar esta minha fama de paranóica, acho mais prudente deixar essas teorias sobre a morte de Arafat pelos mercados de Ramallah.

A partir de agora, este território, no Médio Oriente , constitui mais um barril de pólvora à deriva e prestes a detonar à menor instabilidade interna.
Os jovens palestinianos, já não acreditam em soluções diplomáticas, ou pacíficas para resolver esta crise Israelo-árabe. Todos os dias Hamas e Jihad Islâmica, recebem dezenas de jovens com vontade de libertar o seu povo de uma forma mais enérgica.

A própria Autoridade Palestiniana revela-se mais receptiva e maleável ás propostas de G.W. Bush e Ariel Sharon sobre os territórios ocupados. O futuro não vai ser pautado pela continuidade das posições de Yasser Arafat.

Mas apenas o tempo dirá qual será a sorte do pobre povo palestiniano.
Até mais acontecimentos, e disponibilidade para desenvolver posts gostava de enviar a minha mensagem de pesar pela morte do grande líder histórico da OLP (Organização de Libertação da Palestina) Yasser Arafat:
- Alá seja louvado!

Sem comentários: